Quatro esperanças para o ataque português que procuram a sorte no estrangeiro


A Selecção de Sub-21 não tem mostrado problemas na hora de marcar golos. Teve o quinto melhor ataque da qualificação para o Euro, com uma média de 2,9 golos por jogo. O melhor marcador desta fase foi Ricardo Pereira, com cinco golos. Apesar do registo goleador, o extremo não tem tido muito tempo de jogo na equipa principal do FC Porto.

Algumas das esperanças de ataque do futebol português tiveram mesmo de sair do futebol português para prosseguirem com a sua evolução. Mas houve também jovens avançados que aceitaram abandonar os relvados nacionais em troca de contratos mais vantajosos. Como se têm portado no estrangeiro?

Ivan Cavaleiro

A jovem promessa foi uma das figuras dos Sub-21 na campanha para o Euro, criando desequilíbrios e facturando por três vezes. Sem espaço na equipa de Jorge Jesus, o avançado foi cedido ao Deportivo. E é uma espécie de arma secreta do treinador Victor Fernandéz. Foi suplente utilizado por cinco vezes e apenas foi titular por duas ocasiões. Leva um golo na Liga Espanhola, marcado contra o Granada logo na primeira jornada.



Betinho

O atacante que passou quase toda a sua carreira na Academia do Sporting tenta esta temporada mostrar o seu valor em Inglaterra. Está cedido ao Brentford, do segundo escalão do futebol inglês, mas a experiência não está a correr bem. Tem sido utilizado principalmente na espécie de equipa B do clube e tem apenas 13 minutos disputados no campeonato. Na qualificação para o Euro Sub-21, a promessa da Academia de Alcochete participou em três encontros e fez um golo.




Ricardo Horta

Tem sido titular habitual na equipa do Málaga, mas não tem sido muito decisivo em termos atacantes. O jogador, que deu nas vistas em Setúbal e que começou nas camadas jovens do Benfica, ainda não marcou nem assistiu na Liga Espanhola. Apesar de ter sido pouco utilizado na campanha dos Sub-21, Ricardo Horta conta já com uma internacionalização pela Selecção A na derrota frente à Albânia que marcou o fim da era Paulo Bento. Mas potencial não lhe parece faltar.




Bruma

Foi um dos jogadores mais promissores saídos da Academia de Alcochete nos últimos anos. Trocou o Sporting pelos turcos do Galatasaray mas as lesões no joelho têm atrapalhado o desenvolvimento do extremo e limitado o seu contributo para os Sub-21. Esta temporada tenta recuperar algum do tempo perdido. Já foi utilizado por Cesare Prandelli em partidas da Liga dos Campeões e tem feito alguns jogos a titular. No entanto, o técnico da formação turca tem evitado utilizá-lo mais que 60 minutos por jogo. Conseguirá Bruma vencer as lesões e voltar a fazer explodir o seu futebol?





Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.