Sete antigos futebolistas da Liga Portuguesa que tentam a sorte na Bundesliga

A Bundesliga arrancou este fim-de-semana. E apesar dos dois favoritos à conquista do troféu, o Bayern Munique e o Borussia Dortmund, não contarem nas suas fileiras com jogadores que já passaram pelo futebol português, há velhos conhecidos dos relvados nacionais a tentar a sorte naquele que se está a tornar um dos melhores campeonatos do mundo. Confira quais:

Gelson Fernandes, Friburgo
O médio suíço nascido em Cabo Verde foi uma das apostas do Sporting no início da temporada passada. Mas fez apenas seis jogos na Liga Portuguesa e deixou de ser opção em Alvalade. Na segunda metade da temporada foi emprestado ao FC Sion e esta época conseguiu o passaporte para a Bundesliga, onde aparenta ser uma das primeiras opções do técnico Christian Streich para o meio campo do Friburgo. Jogou os 90 minutos na ronda inicial, mas viu a sua equipa perder por 3-1 em Leverkusen.

Diego Benaglio, Wolfsburgo
Foi um dos grandes guarda-redes que passou pelo futebol português. Passou três temporadas no Nacional da Madeira, que o resgatou ao Estugarda onde não era utilizado. Mas as boas exibições nas balizas portuguesas valeram-lhe o regresso à Bundesliga e já vai na sétima temporada a defender as redes do Wolfsburgo. E é já um histórica deste clube, tendo sido uma peça importante para a vitória no campeonato em 2009.


Diego, Wolfsburgo
Chegou a Portugal em 2004 com o rótulo de uma das maiores promessas do futebol brasileiro. Passou duas épocas no FC Porto, clube pelo qual fez 48 jogos na Liga Portuguesa. Até ajudou os azuis e brancos a vencerem o campeonato em 2006 mas nunca chegou a integrar-se totalmente na mentalidade de jogo dos dragões. O FC Porto vendeu-o ao Werder Bremen e os alemães renderam-se à magia do número 10. As boas exibições na Bundesliga levaram-no à Juventus, clube que representou durante duas épocas. Mas em 2010 regressaria aos relvados alemães, agora com a camisola do Wolfsburgo. Esta temporada é uma das principais esperanças da equipa treinada por Dieter Hecking para conseguir melhor que o 11º lugar da temporada passada. É que apesar de estar ligado ao clube alemão, Diego passou a época anterior no Atlético de Madrid por empréstimo. E os colchoneros ficaram a ganhar com esse negócio, já que o médio participou em 30 jogos e ajudou o Atlético de Simeone a fazer uma época fantástica.

Vieirinha, Wolfsburgo
O extremo português foi uma das grandes promessas que saíram das escolas do FC Porto. No entanto, não chegou a ter muitas oportunidades para se mostrar na equipa principal dos azuis e brancos. Após ter sido emprestado ao Leixões e dada a falta de perspectivas de chegar ao topo do futebol nacional, Vieirinha emigrou para a Grécia. Representou o PAOK durante quatro temporadas e tornou-se num dos melhores jogadores do campeonato helénico, beneficiando do trabalho do treinador Fernando Santos. Parte agora para a sua terceira temporada no Wolfsburgo, clube pelo qual tem feito boas exibições que lhe valeram chamadas à Selecção Nacional.

Marcos António, Nuremberga
O defesa-central brasileiro é um histórico do futebol nacional. Disputou mais de 100 jogos na Liga Portuguesa ao serviço de clubes como o Gil Vicente, a Académica e o Belenenses. Marco António chegou aos relvados nacionais em 2002, depois do FC Porto o ter contratado ao Corinthians Alagoano. No entanto, nos azuis e brancos nunca conseguiu sair da equipa B. Intercalou a passagem pelo futebol português com experiências pelos relvados franceses e gregos. Antes de chegar à Alemanha na temporada passada, tinha estado em destaque nos romenos do Rapid Bucareste. Mas não está a ter vida fácil em Nuremberga, já que não é uma das primeiras opções do treinador Michael Wiesinger.

Ronny, Hertha Berlim
O antigo lateral-esquerdo do Sporting ajudou o Hertha Berlim a regressar à Bundesliga e tem lugar no 11 de Jos Luhukay. Ronny entrou na Bundesliga a fazer uso do seu pé esquerdo. Apontou o último golo da sua equipa, fechando a goleada de 6-1 frente ao Entraicht Frankfurt. Na época passada, o brasileiro foi fundamental para que o Hertha ganhasse a segunda divisão, feito que tanto o lateral como o clube já haviam alcançado em 2011. A aventura na Alemanha ocorre depois de ter passado pelo Sporting e pela União de Leiria. Ronny chegou a Portugal em 2006 com rótulo de promessa, depois de ter dado nas vistas no Corinthians e de ter feito parte da equipa do Brasil que conquistou o Mundial de sub-17. Passou três temporadas em Alavalade e, após não ter conseguido convencer os adeptos, rumou ao União de Leiria. Após a saída do futebol português, ingressou no Hertha.

Além destes sete futebolistas, uma nota de destaque para o jovem central português Marcel Correia, formado nas escolas do Kaiserslautern. O jogador nunca pisou os relvados nacionais mas tem esta temporada a primeira hipótese de jogar com regularidade na Bundesliga ao serviço dos recém-promovidos Eintracht Braunschweig.
Share on Google Plus

2 comentários:

  1. Sobre o Ronny seria importante salientar a evolução e o aproveitamento das características dele por parte dos alemães do Hertha... há muito que deixou de ser apenas um lateral esquerdo. Hoje é muito mais do que isso, é um "falso" extremo direito, esquerdo e muitas vezes número "10" e "8" daquela equipa...

    É engraçado como a vida dá as suas voltas... um jogador que no Sporting e em Portugal era menorizado e na Alemanha é estrela...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem verdade. E é incrível como alguns jogadores não têm aproveitamento em determinado país e depois evoluem bastante noutros. Veremos se o Ronny ajuda o Hertha a manter-se na Bundesliga.

      Eliminar

Com tecnologia do Blogger.