Sílvio no Benfica à procura de carimbar o passaporte para o Brasil

Para resolver o problema crónico das laterais, o Benfica apostou em Sílvio, conseguindo que o lateral-direito viesse por empréstimo do Atlético de Madrid. 

É o regresso a casa do atleta que deu os primeiros pontapés na bola nas camadas jovens dos encarnados, onde ingressou aos 13 anos. Apesar de ter feito a formação num dos grandes do futebol nacional, o internacional português tem uma carreira construída a pulso.

O lateral, que foi por várias vezes chamado às selecções jovens, saiu do Benfica aos 19 anos. A falta de pretendentes levou-o à III Divisão, para representar o Atlético do Cacém. Um ano mais tarde foi contratado pelo Odivelas, da II Divisão B, e aproveitou a magia da Taça de Portugal para catapultar a carreira. Num encontro contra o Rio Ave para aquela competição diz quem viu que Sílvio fez uma jogatana daquelas. A boa exibição levou os vila-condenses a apostar no jogador para a temporada seguinte e a abrirem-lhe as portas da Primeira Liga.

Nas duas temporadas que passou ao serviço do Rio Ave, Sílvio garantiu o lugar na equipa e deu conta do recado. De tal forma que o emergente Braga assegurou os serviços do lateral em 2010/2011. As exibições na cidade dos Arcebispos levaram-no a ser chamado à Selecção em 2010 e a ser contratado pelo Atlético de Madrid. Em pouco mais de três anos saiu dos escalões secundários para se tornar num futebolista valioso. É que os bracarenses terão encaixado oito milhões de euros com a transferência de Sílvio para os colchoneros.

No entanto, em Madrid, Sílvio nunca se impôs como uma das primeiras escolhas dos colchoneros. A meio da temporada passada foi cedido por empréstimo ao Depor, mas não foi capaz de impedir o naufrágio da equipa galega e tem sido esquecido das convocatórias da Selecção de Paulo Bento. Ao transferir-se para o Benfica, o lateral-direito que também dá uns toques no lado esquerdo da defesa, quererá mostrar-se para que não fique a ver o Mundial do sofá caso a Selecção se apure para a competição. 

No entanto, nos primeiros jogos da pré-temporada, Sílvio está a revelar-se algo indisciplinado. Levou um amarelo alaranjado frente ao Sion e foi expulso no jogo contra o Sporting a contar para a Taça de Honra. E a indisciplina não é habitual no jogador. Na temporada passada, em 24 jogos oficiais, não viu nenhum vermelho e foi amarelado por cinco vezes. No ano anterior vira três amarelos em 14 partidas. Já na temporada que passou em Braga, até foi um cliente habitual das cartolinas amarelas (viu 14 em 38 jogos oficiais). Mas sempre se conseguiu controlar e nunca levou um vermelho.

Algumas jogadas espectaculares de Sílvio



Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.