Wembley, o palco das maiores desilusões da carreira de Eusébio


É, a par do Maracanã, um dos estádios mais míticos do futebol mundial. E jogar em Wembley é sinónimo de poder entrar para a história do desporto-rei e de se poder conquistar os troféus mais importantes do mundo. Apesar do velhinho Wembley ter sido substituído por um novo estádio, aquele relvado continua a ser onde se discutem algumas das mais cobiçadas competições, como a Liga dos Campeões deste ano.

Taça dos Campeões Europeus de 1963
Mas aquele que é para muitos o melhor jogador português de sempre não tem boas recordações do estádio inglês. Eusébio da Silva Ferreira viveu três das suas maiores desilusões neste palco. O primeiro revés do Pantera Negra no relvado de Wembley ocorreu em 1963. O Benfica disputou a final da Taça dos Campeões Europeus e em caso de vitória conseguiria uma sequência de três triunfos na prova, após as duas conquistas de Béla Guttmann. Pela frente, os encarnados liderados por Fernando Riera tinham o Milan (onde jogava um tal de Giovanni Trapattoni). O Benfica até começou melhor, com Eusébio a marcar o primeiro golo da partida. Mas um bis de Altafini, que seria o melhor marcador da competição, ditaria a derrota do clube português por 2-1.

Meia-final do Mundial de 66
Três anos depois, o Pantera Negra regressaria a Wembley. Agora para tentar colocar a Selecção Nacional na final de um Mundial de Futebol. O adversário era a equipa da casa, com Bobby Charlton a marcar dois golos. Eusébio ainda reduziu a desvantagem perto da ponta final do encontro, mas a equipa das Quinas não conseguiria eliminar a Inglaterra, que viria a conquistar o título. Já Portugal ainda teve direito a um jogo para definir o terceiro lugar e para secar as lágrimas. Esse encontro frente à URSS também foi disputado em Wembley. A Selecção Nacional venceu por 2-1 com um golo de Eusébio, que foi o melhor marcador do Mundial ao apontar nove tentos.

Taça dos Campeões Europeus de 1968
Em 1968, Eusébio regressa a Wembley para disputar outra final da Taça dos  Campeões Europeus com o Benfica. O adversário era o Manchester United. Mas mais uma vez, o Pantera Negra não conseguiu triunfar em Londres. Após um empate a uma bola nos 90 minutos, os red devils venceriam por 4-1 no prolongamento. E, mais uma vez, Bobby Charlton foi o maior carrasco de Eusébio. O inglês marcou dois golos e foi acolitado por um tento de George Best e outro de Brian Kidd para abater as águias. Já Eusébio ficou em branco nessa partida.

Resumindo, em quatro partidas decisivas em Wembley, Eusébio até conseguiu marcar por três vezes, mas perdeu duas Taças dos Campeões Europeus e um Mundial. A única consolação foi conseguir o terceiro lugar frente à URSS em 1966.
Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.