O que é feito de Zlatko Zahovic?

O Porto conquistou pela terceira vez na história um tricampeonato, com Lucho Gonzalez e Jackson Martínez a assinarem a vitória no jogo do título frente ao Paços de Ferreira. E na primeira vez que os dragões conseguiram este feito, em 1997, o jogo da consagração também teve a assinatura de um médio centro cerebral e de um ponta-de-lança letal. Zahovic e Jardel bisaram na vitória por 4-0 em Guimarães frente ao Vitória, dando o título e o tricampeonato ao Porto.

O esloveno e o brasileiro foram dois dos jogadores mais preponderantes para a conquista do campeonato nessa época. E, curiosamente, ambos cumpriam a época de estreia nos azuis e brancos. Jardel marcou 30 golos e Zahovic, além de alimentar os atacantes da equipa, ainda conseguiu marcar sete golos na Liga. O esloveno continuou no Porto por mais duas épocas, sendo fundamental na conquista do tetra e do penta. Esteve ainda em destaque na Liga dos Campeões, onde na época 98/99 foi o terceiro melhor marcador da competição, com sete golos.

Apesar dos maiores momentos de glória terem sido vividos com o dragão ao peito, Zlatko Zahovic não foi uma descoberta dos olheiros portistas. A entrada do médio em Portugal deu-se em 1993 pela mão de Bernardino Pedroto para, curiosamente, representar o Vitória de Guimarães. Nas três temporadas passadas na Cidade Berço, o médio deu nas vistas ao ser decisivo para levar o Vitória a presenças assíduas nas competições europeias.

Sairia do Porto para o Olympiacos, onde passou uma temporada, e ainda representou o Valência. Em ambos os clubes teve problemas disciplinares e, para piorar a sua reputação, numa final da Liga dos Campeões entre os espanhóis e o Bayern de Munique, o esloveno permitiu uma defesa de Kahn no desempate por grandes penalidades.

Entrou na lista de dispensáveis do Valência e acabaria por chegar ao Benfica em 2001 por troca com Carlos Marchena. Mas na Luz não conseguiu reeditar o sucesso vivido nas Antas e acabaria em Janeiro de 2005, e já com 34 anos, por rescindir o contrato com os encarnados. Além da pouca utilização na equipa de Trapattoni, que viria a conquistar o título, a saída do esloveno foi ainda motivada pela contratação de Nuno Assis para o seu lugar.

Apesar dos altos e baixos nos vários clubes por onde passou, Zahovic continua a ser a maior lenda do futebol esloveno.  É o jogador com mais internacionalizações e com mais golos pela selecção da Eslovénia (35 golos em 80 jogos). E foi decisivo para o apuramento da equipa para o Euro 2002 e o Mundial 2004.

Após a saída do Benfica e sem propostas para regressar aos relvados, Zahovic acabaria por pendurar as chuteiras. Mas continua ligado ao desporto-rei. Desde 2007 que é director desportivo do Maribor. E os eslovenos continuam com esperanças de que o nome Zahovic ainda venha a dar que falar. É que o filho de Zlatko, Luka Zahovic (que até tem nacionalidade portuguesa), evolui nas camadas jovens do Maribor e nas selecções jovens da Eslovénia. E se o jovem avançado de 17 anos tiver herdado o talento de Zlatko, poderemos ter um novo craque.
Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.