Rui Pedro, o príncipe da Transilvânia

Os guerreiros do Minho tentaram ir à Transilvânia bater o Cluj, mas o espírito de Vlad Tepes parece ter encarnado no português Rui Pedro. O avançado fez um 'hat-trick' e deu o golpe de misericórdia nas aspirações europeias do Sporting de Braga, que perdeu por 3-1 na Roménia.

O jogador formado nas escolas do Porto foi o segundo português a fazer três golos num jogo da Liga dos Campeões, feito que só tinha sido alcançado por Cristiano Ronaldo. É o quarto jogador a conseguir um 'hat-trick' nesta fase de grupos da Liga dos Campeões e passou a ter a melhor média de golos por jogo na competição: 1,5 golos por encontro. Leva uma média de um golo em pouco mais de 30 minutos de jogo, já que tem apenas 92 minutos disputados na Champions.

Com 24 anos, o avançado está a conseguir relançar a carreira no Roménia. Além de mostrar serviço na competição de clubes mais importante do mundo,  ajudou o Cluj a sagrar-se campeão na época passada. Apesar de ter sido formado no Dragão, Rui Pedro, que chegou a representar os sub-21 portugueses, não chegou a ter oportunidades no Porto e teve poucas ocasiões para provar o seu valor na Primeira Liga Portuguesa.

Na passagem a sénior, que é o purgatório da maior parte dos futebolistas portugueses, o Porto decidiu emprestar o atleta ao Estrela da Amadora em 2007/2008. Na Reboleira, Rui Pedro participou em quatro jogos no escalão principal do futebol português e não conseguiu marcar um único golo. Seguiram-se os empréstimos ao Portimonense, Gil Vicente e Leixões, sempre na II Liga. E deu nas vistas na equipa de Barcelos e de Matosinhos, onde se tornou mais concretizador, apontando oito golos com a camisola do Gil Vicente e outros oito pelo Leixões.

Sem oportunidade de pisar os relvados da Primeira Liga, Rui Pedro decidiu juntar-se ao contingente português do Cluj. E talvez tenha conseguido na Roménia a notoriedade que dificilmente conseguiria ter em Portugal.


Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.