Jorge Costa estreia-se com uma derrota no AEL Limassol

Jorge Costa começou com o pé esquerdo a aventura no comando técnico do AEL Limassol. O antigo capitão do Porto, contratado esta semana pelos cipriotas, viu a sua equipa ser batida em casa pelos turcos do Fenerbahce por 1-0 num encontro a contar para o Grupo C da Liga Europa.

O novo desafio do antigo internacional português não se avizinha fácil. O clube quer defender o título de campeão cipriota e de fazer boa figura na Liga Europa depois de ter desperdiçado a oportunidade de entrar na fase de grupos da Champions. Na liga interna, o AEL Limassol segue na quarta posição, a quatro pontos dos três primeiros (Apoel Nicosia, Anorthosis e AEK Larnaca).

Para o ajudar na tarefa, Jorge Costa conta com uma legião vinda do futebol português no plantel. Na defesa conta com Dossa Junior (ex-Imortal), Maykon (ex-Paços de Ferreira), Marco Airosa (ex-Desportivo das Aves) e Carlitos (ex-Atlético). No meio-campo tem à sua disposição José Embalo (ex-Casa Pia), Jorge Monteiro (ex-Santa Clara), Rui Miguel (ex-Vitória de Guimarães), Ebo Enoch (ex-júnior do Porto), Luciano Bebê (ex-Estoril) e Dedé (ex-Paços de Ferreira).

Mas é no ataque que estarão as armas mais valiosas à disposição de Jorge Costa. Tem às suas ordens aquele que já foi uma das esperanças do futebol português para a posição 9, o ex-portista Orlando Sá. Conta ainda com os serviços de Paulo Sérgio, que representou o Vitória de Guimarães e o Olhanenses, e com o ex-Académica Vouho. Além da legião vinda do campeonato português, outra arma secreta é o veterano ponta-de-lança Konstantinou, que até já marcou a Portugal ao serviço da selecção cipriota.

A carreira de Jorge Costa como técnico começou no Braga a meio da época 2006/2007, substituindo Rogério Gonçalves. O "Bicho" terminou o campeonato em quarto lugar, mas na época seguinte seria despedido à 8ª jornada. Aceitou então ser despromovido para a II Liga, onde assumiu o comando do Olhanense. Conseguiu a promoção ao principal escalão do futebol português e, na época seguinte, manter os algarvios na Primeira Liga.

O bom trabalho em Olhão levou-o para a Académica. Após um bom arranque com os estudantes, manchado por duas goleadas consecutivas, Jorge Costa abandonou a equipa e deixou os adeptos do desporto-rei intrigados. Disse que a sua saída não era apenas da Académica, mas sim do mundo do futebol.

Meio ano depois não resistiu ao encanto do desporto-rei e acabaria por assinar pelos romenos do Cluj. Na Roménia foi despedido perto do final da época passada depois de sofrer uma goleada de 5-0 imposta Rapid Bucareste. A direcção do clube não teve contemplações apesar do Cluj estar na liderança da liga. Apesar de já estar sem Jorge Costa no banco, o clube acabaria por se sagrar campeão.
Share on Google Plus

0 comentários:

Com tecnologia do Blogger.